Cultura

Aparecida é Show marca 2017

Outras ações culturais também se destacaram ao longo do ano

O ano de 2017 trouxe muitas novidades na área de cultura à Aparecida. Em abril, com o objetivo de popularizar o ato da leitura nos espaços do município foi lançado pela secretaria de Educação e Cultura, o Projeto Geladeira Literária. O intuito é criar bibliotecas itinerantes em diversos espaços como postos de saúde, terminais e shopping. Os leitores podem ficar o tempo necessário com os livros, mas é bom ter a consciência que ele deve ser devolvido.

O grande acontecimento que marcou Aparecida no ano de 2017, foi o Aparecida é Show, no mês de maio. Um show gospel deu inicio ao evento. Logo no segundo dia das festividades, Guilherme e Santiago animou a galera. Jorge e Mateus, a atração mais esperada, agitou o terceiro dia do Aparecida é Show. A alegria do público ficou mais completa com a chegada de Israel Novaes, Israel e Rodolfo e Jonas Esticado. No último dia de apresentação, Amado Batista e Jefferson Morais comemoraram, com os aparecidenses, o dia das mães.

Além disso, o público teve acesso a outras atrações, como o parque de diversões, rodeio, fazendinha e alguns stands. O jornal Diário de Aparecida montou seu stand no evento e pôde receber seus leitores. Assim eles conferiram de perto a produção do jornal, que neste ano foi considerado o mais influente do Estado. O espaço ficou montado desde o primeiro dia das apresentações até o último instante. Dessa experiência ficou a satisfação e a alegria por ficarmos mais próximos do nosso público.

Em julho, a Prefeitura de Aparecida de Goiânia, promoveu a primeira edição do Festival Córtex: Experiências Digitais. O objetivo foi fomentar a cultura digital no município. O projeto busca também incentivar a inovação, a criatividade e a socialização a favor da inclusão social. Em agosto, o Teatro de Bolso Cidade Livre deu início a uma série de ações culturais em Aparecida de Goiânia. Foram oito meses a favor do maior projeto cultural que o município já recebeu. No projeto A arte pulsando no interior, se destacou a 3ª Mostra de Teatro Cidade livre – Edição Internacional.

Teatro de Bolso Cidade Livre foi o ponto de cultura que mais se destacou em Aparecida de Goiânia. Apresentou diversos espetáculos, como Vaga Voz do Oco e Umas e outras. Além de promover debates sobre cultura e levar o nome da cidade para o exterior. Também em agosto, o grupo Los Papas Tintas, formado por Leo Mafra, Garfo, Rasta e Marcelo Costa, coloriram os muros do Centro de Cultura e Lazer José Barroso. Eles fazem questão de ressaltar que são artistas do município. O projeto foi executado praticamente em um dia.

O Cartório Bruno Quintiliano, em Aparecida de Goiânia, inaugurou, em outubro, um espaço cultural, que foi implantado no hall do local. Neste estão expostas obras dos artistas goianos, tanto escritores como artistas plásticos. A primeira exposição, que inaugurou o espaço, foi do livro da romancista Rosarita Fleury e também as obras da artista plástica Ana Cristina da Rocha Lima.

Em novembro, o Ponto de Cultura Cidade Livre, se destacou novamente e esteve entre os 52 agentes de ibero-americanos, da Rede Cultura Viva, selecionados para representar o Brasil no 3º Congresso Latino- Americano de Cultura Viva Comunitária, que ocorreu no Equador. (Da redação)

Close