Cidades

Área da Saúde de Aparecida teve um ano agitado em 2017

Confira os principais acontecimentos de janeiro a dezembro

O ano de 2017 começou com a nomeação dos secretários escolhidos pelo prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha (MDB). Para a secretaria de Saúde, o escolhido foi Luiz Edgar Tollini, que tomou posse no dia 16 de janeiro.

Uma surpresa para os aparecidenses, em fevereiro, foi a notícia de que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Residencial Brasicon, localizada na Rua das Acácias, iria fechar para reforma, assim que a UPA do Parque Flamboyant fosse inaugurada – o que dividiu a opinião da população. Em março, a demissão de 500 médicos da rede pública de saúde de Goiânia, provocou a migração de pacientes da capital em busca de atendimento nas unidades de emergência e urgência, do município. Isto causou superlotação nas unidades de 24 horas, visto que a demanda aumentou em 20%.

 

Comoção

No dia 26 de março, um pedreiro encontrou um bebê em uma caixa sobre a placenta, enrolado em uma coberta. O homem chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Corpo de Bombeiros, que, após o primeiro atendimento, foi encaminhado para a maternidade Marlene Teixeira. A notícia gerou comoção entre os profissionais e em diversos visitantes, que inclusive foram ao local para deixar enxovais, fraldas, leite, lenços e mais.

Em maio, os servidores da saúde fizeram uma greve para reivindicar o cumprimento do plano de carreira com o pagamento das gratificações e as melhorias das condições de trabalho. Em junho, ocorreu outro caso que comoveu a população, de um recém-nascido que foi colocado em uma caixa de papelão por falta de berço na Maternidade Marlene Teixeira, na Vila Brasília. O episódio gerou debate na Câmara dos vereadores da cidade. A justificativa da SMS foi que os profissionais tentaram atender e acolher o paciente, porém, a demanda do local era maior que o número dos leitos disponíveis. Todavia, o fato gerou polêmica durante dias.

No dia 25 de junho, o ministro da Saúde Ricardo Barros anunciou a liberação de R$ 18 milhões para a compra dos equipamentos da primeira etapa do Hospital, que serão pagos em duas parcelas. A primeira já foi creditada no valor de aproximadamente 9 milhões.

A UPA do Parque Flamboyant realizou cerca de 3 mil atendimentos no primeiro mês de funcionamento. A unidade que foi inaugurada no dia 30 de junho e oferece atendimentos de emergência e urgência para a população de 19 bairros da região. Ao todo, a instituição recebeu o investimento de 4,7 milhões – 2,6 do Ministério da Saúde e o restante do município.

Às queimadas também foram notícia em 2017. Com o fim do período chuvoso, muitos moradores iniciaram a prática para limpar lotes baldios. A ação somada ao tempo seco além de prejudicar o meio ambiente, também ocasionou problemas de saúde, principalmente respiratórios em parte da população.

 

Segundo Semestre

No mês de agosto foram inauguradas duas UBS no município. A primeira foi a do Setor Rosa dos Ventos, no dia 15. E a segunda, foi a da Chácara São Pedro no dia 22. Já no dia 1º de setembro a população do Garavelo Park recebeu a UBS da região.

No dia 23 de novembro, os vereadores aprovaram a lei Orçamentaria Anual (LOA), que estima a receita fixa e as despesas do município para o exercício financeiro do ano de 2018, com montante de R$ 1.133.234.475. A Secretaria Municipal de Saúde ficou com a maior fatia do bolo orçamentário, entre todas as secretarias, num total de R$ 367.507.796.

A primeira edição do Prefeitura em Ação aconteceu em junho deste ano, e a última foi realizada em novembro. Em cinco edições foram feitos cerca de 10 mil atendimentos. Para finalizar o ano, no dia 21 de dezembro foi inaugurada a UBS do Bairro Cardoso II.

 

Related Articles

Close