Política

O ano na política de Aparecida de Goiânia

Ano foi marcado pela posse de eleitos e movimentação em torno das eleições de 2018

O ano de 2017 iniciou no cenário político com a posse do prefeito eleito Gustavo Mendanha, dos seus auxiliares e dos vereadores eleitos. Após tais movimentações, o ano foi bastante calmo nos ambientes políticos de Aparecida de Goiânia, diferentemente de 2016 quando foi realizada a última eleição para os cargos de prefeito e vereador. Com essa calmaria no cenário municipal, a movimentação nos bastidores ficou por conta das alianças que serão firmadas para o pleito eleitoral de 2018, quando serão conhecidos os novos governadores, deputados estaduais e federais, senadores e presidente da República.

Para isso os partidos do se movimentaram para eleger sua diretoria. O Partido dos Trabalhadores reelegeu em abril deste ano, Priscila Montovani. O objetivo das eleições antecipadas, que elegeram como presidente nacional da sigla, a senadora Gleisi Hoffman, foi o de reunir e unir a bancada para trabalhar em prol da campanha à presidência de Luiz Inácio Lula da Silva, que pelas pesquisas está à frente dos demais pré-candidatos.

Outro partido que realizou eleições da diretoria visando 2018 foi o PSDB. Em outubro, o ex-deputado Chico Abreu foi reeleito presidente do Partido da Social Democracia Brasileira. A eleição foi um marco, pois a sigla deixou de ter apenas uma comissão para se tornar novamente um diretório municipal, o que fortalece a sigla no município e trouxe como pré-candidato à deputado federal, Professor Alcides Ribeiro.

No âmbito nacional, também visando as eleições majoritárias do próximo ano, o PSDB elegeu como presidente o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin que assumiu a vaga do senador Aécio Neves, afastado após escândalos de corrupção. O governador de Goiás, Marconi Perillo, havia colocado seu nome na disputa que aconteceu no final de novembro, mas desistiu, em prol da unidade do partido.

 

Republicanos

O prefeito Gustavo Mendanha vem seguindo a cartilha do seu antecessor, Maguito Vilela e não tem entrado em conflito com o governo do Estado, comandado por Marconi Perillo. Ambos têm tido atitudes republicanas nos diversos eventos municipais e estaduais realizados na cidade, como a assinatura de contrato de obras do programa Goiás na Frente e também em mutirões de serviços.

Neste âmbito, Gustavo e Marconi estão demonstrando serem bons estadistas, pois quando os temas são os interesses de Aparecida, bem como do Estado, ambos esquecem as divergências políticas e buscam promover parcerias visando a melhoria da qualidade de vida do povo e o desenvolvimento da cidade e de Goiás. Um do convênios mais importantes firmados entre Estado e Prefeitura foi o Programa Goiás na Frente, que destinará R$ 12 milhões para obras de infraestrutura em Aparecida.

Mesmo com todas as questões republicanas, Gustavo Mendanha destacou durante todo o primeiro ano de sua gestão que apoia Daniel Vilela como pré-candidato dos pemedebistas para o governo do Estado. Defendendo candidatura própria da sigla ao Palácio das Esmeraldas, em 2018 e endurecendo o discurso contra correligionários que estariam encampando pré-candidaturas de outras legendas.

 

Líder político

Neste primeiro ano como prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha também garantiu assento nas mesas de negociações e encampou iniciativas que fizessem com que o papel de líder ultrapassasse os limites da cidade, se consolidando na esfera política estadual e nacional. Dentro do PMDB, Gustavo sempre esteve na frente na linha de defesa de uma candidatura própria da sigla para o governo do Estado, apoiando o deputado federal, Daniel Vilela.

Neste ponto, o prefeito de Aparecida tem endurecido o discurso e ressaltado, devido a estrutura do partido, que os peemedebistas têm por obrigação indicar um representante na corrida ao Palácio das Esmeraldas, e não apenas ficar com a vaga de vice-governador, por exemplo, em uma chapa encabeçada por outro nome. E devido ao seu destaque, vem sendo chamado pela cúpula do PMDB para conversas sobre alianças políticas em 2018. Uma delas é trazer o PP para o lado pemedebista.

Ao longo de 2017, o prefeito se reuniu com todos os 20 integrantes da bancada goiana no Congresso Nacional. Buscou apoio para importantes obras, por meio das emendas parlamentares, e para destravar projetos da prefeitura que tramitavam em órgãos da União. Além disso, foi recebido pelos principais ministros, incluindo os da Saúde, Governo, Planejamento, Educação e Cidades. E no dia 18 de outubro teve uma audiência exclusiva com o presidente Michel Temer, onde solicitou apoio do governo para o início das atividades do Hospital Municipal. (Daniela Ribeiro)

 

Related Articles

Close