Cidades

Após batida, torre cai e interdita Anel Viário do município

Congestionamento chegou a ter três quilômetros de extensão

Após um motorista colidir contra uma torre de transmissão de energia que caiu sobre a via, o trânsito do Anel Viário sentido BR-153, na região do Polo Empresarial, em Aparecida de Goiânia, ficou totalmente interditado até o final da tarde de ontem. O congestionamento chegou a ter três quilômetros de extensão por volta das 16h. O acidente aconteceu no início da manhã de quinta-feira, 4.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) logo deu início ao controle do trânsito no local e contribuiu com o processo de remoção da torre. Mas como se trata de fiação de alta tensão, a retirada só foi concluída no final da tarde. Outras duas também foram danificadas e ameaçam cair.

De acordo com o inspetor Newton Morais, da PRF, o homem, que fugiu do local, perdeu o controle do veículo (uma Saveiro), o que teria motivado o acidente. “A Saveiro acertou o pé da torre, que deitou sobre um dos lados da via. Todo cabeamento de fiação pesada também estava sobre o piso asfáltico, por isso a demora da remoção e também da liberação do Anel Viário”, afirmou.

Ainda segundo informações do inspetor, o veículo foi removido do local no período da manhã e encaminhado para o posto da PRF, em Hidrolândia. Até o fechamento desta edição, o condutor do carro ainda não havia sido identificado e localizado. A corporação investiga o paradeiro dele, principalmente, para saber o seu estado de saúde.

Celg

Em nota, a assessoria de comunicação da Celg Geração e Transmissão informou que o acidente ocorrido na madrugada de quinta-feira, 4, provocado por um veículo na Subestação Anhanguera, da Celg Geração e Transmissão, não irá gerar nenhum prejuízo a consumidores da região. “Uma equipe da estatal trabalhou desde as primeiras horas para, primeiro, garantir que nenhum consumidor fique sem energia [por esse motivo, ninguém ficou sem energia]. Os funcionários da Celg GT trabalharam em ritmo intenso, que garantiu a liberação da pista do Anel Viário”, dizia o texto. Quanto ao trabalho de engenharia para recuperação das torres afetadas, até o momento não foi possível estabelecer um prazo, já que é necessário fazer um estudo aprofundado do ocorrido. (Lilian Camargo)

 

Related Articles

Close