Política

Ozair José e Max Menezes devem deixar prefeitura

Membros da administração pública terão de se desincompatibilizar seis meses antes da disputa para concorrer ao pleito

Os secretários municipais ou membros de entidades mantidas pelo poder público e integrantes de fundações públicas em geral que desejarem se candidatar terão de se desincompatibilizar, ou seja, deixar o cargo ou se licenciar até dia 7 de abril, seis meses antes do pleito, sob pena de serem enquadrados como inelegíveis, conforme a Lei Complementar nº 64/1990 (Lei de Inelegibilidade). Dois auxiliares do prefeito Gustavo Mendanha (MDB) são tidos como certos na disputa por uma vaga de deputado estadual: o secretário de Desenvolvimento Urbano, Max Menezes (PSD), e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ozair José (MDB).

Ozair José disse que é pré-candidato a deputado estadual e afirmou que vai deixar a prefeitura no dia 7 de abril. A partir desta data, o secretário informa que trabalhará no cronograma de campanha, que será apenas nos 45 dias que antecedem às eleições. “Portanto, teremos de ter um trabalho nesse período de pré-campanha. Até lá, meu compromisso é com a prefeitura. Estou muito focado na gestão. A partir do momento em que eu deixar a secretaria, ficarei por conta da campanha”, ressaltou.

De acordo com ele, não há um sucessor definido para o seu cargo. Ozair conta que ainda não conversou com o prefeito sobre isso e diz que Gustavo, o presidente municipal do MDB, Leo Mendanha, e o ex-prefeito Maguito Vilela têm simpatia por sua candidatura. “Leo Mendanha e Maguito fizeram o convite para eu estar no MDB e hoje conto com o apoio desses nomes e de outros. Não sei se temos outros pré-candidatos no partido, mas vamos conversar com todos que tenham pretensão. Quero e vou procurar ser o consenso e uma candidatura única na sigla, respeitando todos aqueles que tenham suas pretensões. Vou na tentativa do diálogo”, declarou.

Ozair afirma que seu nome e de Max Menezes são os que mais avançaram dentre os possíveis candidatos da base de Gustavo. “O prefeito precisa consolidar sua força política e a Assembleia é um local onde ele fará isso”, salientou.

 

Reforma

No final do ano passado, chegou-se a falar numa reforma administrativa, mas, segundo informações de bastidores, o prefeito Gustavo Mendanha deve aguardar o período de desincompatibilização para promovê-la. Com a saída de Max e Ozair, o prefeito deverá privilegiar, para ocupar os cargos, os partidos que oferecem sustentação ao seu governo. (Charles Daniel)

 

Related Articles

Close