Estado

“Resultados fiscais de 2017 são satisfatórios”, diz Marconi em reunião com Zé Eliton

Vice-governador ressalta os esforços em garantir estabilidade econômica aos cofres do Estado

O vice-governador Zé Eliton (PSDB) esteve reunido com o governador Marconi Perillo (PSDB), na manhã de ontem, para avaliar as metas e os resultados fiscais de 2017. “Não fechamos os números, mas já adianto que são satisfatórios, bem melhores em todos os indicadores fiscais e financeiros. Vamos surpreender positivamente até os aliados”, declarou o governador sobre a reunião, que também contou com as equipes das secretarias da Fazenda e de Planejamento.

A receita de Goiás teve crescimento de 3%, segundo apontou levantamento apresentado pelas equipes dos secretários de Estado da Fazenda, João Furtado, e de Gestão e Planejamento, Joaquim Mesquita, para o governador no final do ano passado. De acordo com o governo, o incremento nas receitas garantiu os investimentos em obras e a manutenção, em dia, do pagamento da folha do funcionalismo e da prestação dos serviços públicos, como educação, segurança, saúde e programas sociais.

Goiás na Frente

Zé Eliton é o coordenador do programa Goiás na Frente, responsável por uma série de investimentos nos 246 municípios goianos. Segundo ele, o programa entregou 20 projetos voltados ao cenário do desenvolvimento econômico e outros 25 estão em andamento, o que totaliza 45 ações para a área. “Foi a partir dos esforços em garantir estabilidade econômica aos cofres do Estado que iniciamos grandes investimentos em inovação, tecnologia e capacitação profissional”, relata o vice-governador.

 

Otimismo

Balanço apresentado pelo superintendente-executivo da Receita Estadual, Adonídio Neto Vieira Júnior, no final de dezembro, mostrou que a efetividade da arrecadação ultrapassou as expectativas e metas pactuadas entre a equipe econômica e o governador no início do exercício. O sucesso da arrecadação de 2017 projeta números ainda mais otimistas para 2018.

Diante das medidas tomadas, principalmente do endurecimento da ação fiscal, com a Lei do Devedor Contumaz, a Lei do Cadin e a criação de alguns grupos de trabalho interinstitucional, a Sefaz prevê que a arrecadação, acompanhada do crescimento da economia brasileira, venha a crescer ainda mais. A estimativa é em torno de R$ 850 milhões acima da inflação e do PIB, o que fará com que Goiás consolide a ascensão anual de arrecadação. Os dados positivos das metas de arrecadação este ano também são colocados na conta da política de incentivo à renegociação fiscal criada pelo governador Marconi Perillo. (Charles Daniel )

Related Articles

Close