Cidades

Família de seis pessoas pede ajuda a leitores

Do Tocantins, mas em Aparecida desde 2012, Maria revela as dificuldades que tem enfrentado desde que chegou à cidade

Maria Arteniz Lopes da Silva é doméstica e reside, com a família, em uma casa bastante antiga, localizada no Eixo NS1, Setor Santa Luzia, em Aparecida de Goiânia. Na residência moram seis pessoas: ela e o esposo, Lucivaldo Silva, a filha com o marido e mais duas crianças, netas da dona de casa, Ângela e Evelyn, de 2 anos.

A doméstica, que se mudou do Estado do Tocantins para Aparecida há seis anos, contou à equipe do Diário de Aparecida as dificuldades que enfrentou logo que chegou à cidade. “Foi muito complicado, tinha dias que não tínhamos nada para comer, até água faltava. Com o tempo, as coisas foram se ajeitando, eu consegui emprego e meu esposo faz alguns ‘bicos’”, relembrou.

Maria também nos contou que a única renda fixa da casa é a dela, pois Lucivaldo não tem carteira assinada, mas faz de tudo para conseguir “bicos” durante a semana, o que garante as compras do mês. A matriarca afirma que, atualmente, comida não falta. Mas o que o casal ganha não é suficiente para garantir o sustento de todos. “Falta roupa para as meninas. Elas crescem rápido e logo as roupas já não servem mais. Calçados às vezes faltam, as meninas mesmo quase não têm. Damos prioridade à comida e daí essas coisas ficam para trás”, afirmou.

 

Doações

A família da dona Maria passa por algumas dificuldades, principalmente com roupas, calçados e utensílios para o lar. A casa dela é bastante antiga e necessita de reforma. A renda do casal não é suficiente e a filha que mora com eles não trabalha e precisa fazer um tratamento contra tireoide, pois tem desmaios constantes por conta da doença.

Quem quiser ajudar, seja com doações para suprir as necessidades da família, ou até mesmo com uma oportunidade de emprego para Lucivaldo, pode procurar a redação do jornal Diário de Aparecida ou ligar nos telefones (62) 3280-4352 ou (62) 99176-7917. Aqueles que preferirem procurar diretamente dona Maria, podem ligar no número (62) 99924-4596. Vale lembrar que, de acordo com a família, qualquer tipo de doação, se for de coração, é bem-vinda. (Lilian Camargo)

Related Articles

Close